Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

domingo, 23 de outubro de 2011

Índice de abstenção no AM foi de 32,86% no Enem, segundo o MEC


Abstenção no amazonas (32,86%) é maior que média nacional (26,4%), dado preocupante para a educação local.

MANAUS - Dos cerca de 131 mil inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Amazonas, 43 mil, aproximadamente, faltaram às provas, segundo dados divulgados há alguns minutos no portal do Ministério da Educação e Cultura (MEC) na internet. O índice de abstenção , se considerados os dois dias de provas, foi de 32,86%, segundo o balanço. O Estado foi o segundo no ranking nacional com maior número de faltosos, perdendo apenas para o Amapá, com 34,12%.
Só no último sábado (22/10), durante a 1ª etapa das provas, o índice de abstenção foi superior a 28%. A segunda etapa ocorreu neste domingo (23/10). O gabarito será divulgado no próximo dia 25 (terça-feira), no site www.portal.mec.gov.br e o resultado final será divulgado dia 4 de janeiro. Cerca de 130 mil alunos de 43 municípios do Amazonas – incluindo a capital - estavam aptos a participarem, 50 mil deles só do ensino médio da rede pública, segundo o coordenador regional do Enem, Edson Melo.
Segundo o MEC, a edição de 2011 do exame registrou abstenção média de 26,4%, índice menor do que a média do ano passado, de 28%. A abstenção média deste domingo, 23, foi de 27,6%; a do sábado, 22, de 25,2%. Inscreveram-se nesta edição o número recorde de 5.367.092 inscritos
O Enem é usado por estudantes para o acesso a diversos programas do Ministério da Educação. No primeiro semestre deste ano, 83 instituições que aderiram ao Sisu abriram 83,1 mil vagas a estudantes que fizeram o Enem em 2010. No Amazonas, a única instituição pública de ensino superior que aceita o resultado do exame como pontos acumulativos para o vestibular é a Universidade Federal (Ufam).
Contudo, ele também é utilizado como critério para a seleção de bolsas no Programa Universidade Para todos (ProUni), do governo Federal, para o Bolsa Universidade, do governo municipal e para o financiamento de cursos de ensino superior do Fies, da Caixa Econômica Federal.


Postado por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é importante para nós. Obrigado por acessar nosso blog. Parabéns.