Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Vila de Lindoia em Itacoatiara vai ter energia elétrica a partir de etanol de mandioca


Durante 12 meses serão testados motogeradores a etanol na vila que fica no
município de Itacoatiara (a 177 quilômetros de Manaus)



Nesta quinta-feira (25), o presidente da Eletrobras Amazonas Energia, Pedro Hosken, e representantes da empresa Vale Soluções em Energia (VSE), do Instituto Energia e Desenvolvimento Sustentável (Inedes) e do Centro de Desenvolvimento Energético Amazônico (CDEAM) ligado a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), participam da cerimônia de assinatura do contrato do projeto que vai permitir a geração de energia por meio de etanol da mandioca.
O contrato faz parte do projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da empresa, que, de acordo com os critérios estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em atendimento à lei federal 9.991/2001, precisa investir em pesquisas que reflitam em melhorias à sociedade.
O projeto será desenvolvido pelo Inedes, em parceria com o CDEAM e com a VSE, que será a fornecedora dos motogeradores a etanol para o processo inicial do projeto.

Projeto



O presidente das empresas Distribuidoras de Energia da Eletrobras, Pedro Carlos Hosken Vieira, disse que inicialmente serão avaliadas as possibilidades técnicas, econômicas, ambientais e legais do projeto. Hosken explicou que durante 12 meses serão testados motogeradores a etanol. Esses equipamentos, cuja tecnologia é genuinamente nacional, serão instalados na Vila de Lindóia, localizada no município de Itacoatiara (a 177 quilômetros de Manaus).
Os motogeradores, cada um de 250 kV, serão dotados de um sistema de supervisão on line, com transmissão de dados via Internet. Na Fazenda Experimental da Ufam, localizada na BR174, que liga Manaus a Boa Vista (RR), será montado um pequeno laboratório para produção e caracterização físico-química do etanol produzido a partir de cultivares de mandiocas recomendadas pela Embrapa para a região Amazônica, em terra firme e em várzea.
Durante este processo será realizado estudo de compatibilização das demandas de energia elétrica existentes no sistema da Eletrobras Amazonas Energia com os potenciais locais, para produção de etanol da mandioca.
Para a Eletrobras Amazonas Energia, o benefício desse projeto inclui a validação de tecnologia nacional de motogeradores a etanol, com grande potencial de aplicação no País e no exterior, além de gerar oportunidade de trabalho, emprego e renda; domínio tecnológico de produção de etanol da mandioca em pequena escala; e, reconhecimento da competência técnico-científica regional (Inedes, CDEAM, Ufam) de soluções energéticas adequadas para a região Amazônica.



Fonte: http://www.acritica.com.br/
 
 
 
 
Postado por Rubem Tadeu - Presidente da  AFAMA
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é importante para nós. Obrigado por acessar nosso blog. Parabéns.