Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

A cada 2 dias, um profissional de enfermagem é acusado de erro






Foram 980 queixas entre 2005 e 2010, 250 delas no ano passado; desses casos, 20 causaram morte ou dano definitivo



Preocupada com a atual situação pela qual passam os profissionais  de enfermagem no Brasil, a Associação dos Atalaienses vem alertar a todos para redobrar a atenção na execução das atividades inerentes a função que exercem. Nos últimos dias, a mídia nacional tem dado destaque à preocupação da sociedade brasileira, tendo em vista erros praticados por profissionais da saúde durante o trabalho. Considerando que Atalaia do Norte tem recebido significativo número de profissionais da saúde, a Associação dos Atalaiense publica o artigo abaixo a fim de despertar maior responsabilidade, evitando assim riscos para a saúde dos atalaienses, pois os índices são alarmantes.

Veja abaixo o que publicou o Jornal o Estadão de São Paulo:


"A cada dois dias, um profissional de enfermagem do Estado é acusado de erro durante atendimento médico. Foram 980 queixas entre 2005 e 2010 (250 delas no ano passado). Os dados são do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP). Em 20 desses casos, a falha resultou na morte do paciente ou em danos definitivos.
O balanço foi divulgado ontem, em meio à denúncia de que uma criança de 1 ano teve parte do dedo mindinho decepada por uma auxiliar de enfermagem do Hospital do Mandaqui, administrado pelo governo, enquanto retirava um curativo. A enfermeira, afastada de suas funções, alega que o acidente foi causado por erro na forma como o curativo foi feito, segundo seus familiares. A menina deve ser encaminhada nesta semana para o setor de reimplantes do Hospital das Clínicas, informou o governo.
O presidente do Coren, Claudio Alves Porto, não soube dizer quantas denúncias terminam em punições para os enfermeiros. "Em todos os casos é instaurado procedimento administrativo. O profissional e a instituição são investigados e têm direito à defesa. Se comprovada falha na instituição, a denúncia é levada ao Ministério Público. Se o erro é do profissional, ele é punido." Porto culpa a escalada de erros de enfermeiros e técnicos e auxiliares de enfermagem à má formação.
Vaselina. A Santa Casa demitiu por justa causa a auxiliar de enfermagem que, no ano passado, aplicou vaselina líquida em vez de soro fisiológico na veia de uma paciente de 12 anos, que morreu. O erro ocorreu no Hospital São Luiz Gonzaga, na zona norte. O desligamento da funcionária foi feito no começo do mês, após o término da sindicância que apurou o caso. A Santa Casa, responsável pelo hospital, não quis comentar a saída da profissional, que responde por homicídio culposo. / COLABOROU CAMILLA HADDA."



Fonte: www.estadao.com.br



Postado por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é importante para nós. Obrigado por acessar nosso blog. Parabéns.