Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

sábado, 16 de junho de 2012

RIO+20: CONHEÇA E ENTENDA OS IMPASSES QUE EMPERRARAM A 1a FASE






Negociadores apresentaram conclusão de três dias de negociação. G1 teve acesso a parte de reunião fechada; texto não tem consenso.


RIO DE JANEIRO - Em reunião fechada, delegados apresentaram a seus pares, na madrugada deste sábado, 16, os resultados dos três primeiros dias de negociação do Comitê Preparatório da Rio=20, Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. A plenária foi fechada à imprensa, mas o G1 detalha com exclusividade parte dos resultados mencionados pelos líderes dos grupos de trabalho que conduziam as negociações, a que teve acesso por meio de uma transmissão do encontro que foi interrompida após cerca de 30 minutos.
Na reunião, com a presença dos ministros de Relações Exteriores, Antônio Patriota, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, os chefes dos grupos de trabalho criados para fechar trechos do texto final da Rio+20 expuseram o que foi debatido até então. A maioria dos delegados afirmou que as negociações avançaram, mas destacaram que ainda falta consenso em pontos controversos. O chefe do grupo que debateu os objetivos do desenvolvimento sustentável afirmou que houve "avanço" no texto, mas que ainda há divergências sobre temas como a implementação das metas a serem firmadas. Um dos principais impasses nas negociações da Rio+20 é o financiamento das ações de fomento ao desenvolvimento sustentável.
Na reunião fechada, o Secretário-Geral da Rio+20, o chinês Sha Zukang fez um discurso em tom nada otimista. "Ainda há muito trabalho a ser feito", admitiu Zukang. "Por quase dois anos, nós tivemos preparando-nos para esta conferência, e nas horas finais, ainda não estamos onde deveríamos estar", prossegue o texto do discurso. "Nosso trabalho duro não pode ser em vão. Não podemos aceitar isso."
Por causa das divergências, os grupos de trabalho continuarão a debater o texto até a próxima terça-feira, 19. Os embaixadores André Corrêa do Lago e Luiz Alberto Figueiredo, negociadores-chefes do Brasil na Rio+20, não quiseram dar entrevistas após a reunião. O ministro Antônio Patriota também se recusou a responder a perguntas dos jornalistas.
Conheça a seguir detalhes do que foi dito na reunião de delegados, que começou por volta das 11h e terminou depois da meia-noite:

ECONOMIA VERDE

O tema foi apresentado pela delegação do Canadá. Segundo os negociadores, o trabalho do grupo teve progresso considerável nesta sexta-feira, 15. "Temos acordo em sete parágrafos, e cinco subparágrafos [do rascunho]. A discussão foi muito construtiva, com espírito de colaboração e flexibilidade, o que contribuiu para o progresso", disse a delegação do país.
"Dos parágrafos em que temos acordo, há uma moldura importante para a economia verde e alguns parágrafos que tratam de temas que foram difíceis para muitas delegações. Considerando isso, o progresso é muito positivo. A perspectiva de acordo é muito boa."

PRODUTOS QUÍMICOS

A delegação do México declarou que já há acordo sobre a maior parte do texto nesta área "Apenas alguns poucos assuntos continuam em aberto. Temos confiança de que, com o progresso alcançado, podemos levar adiante um texto que vai permitir o processo de encontrar um bom resultado nesse tema. 

DESERTIFICAÇÃO

Segundo o delegado da Austrália, que apresentou o balanço das negociações sobre o tema, "o grupo fez um ótimo progresso e a ampla maioria do texto em geral já foi acordado. Em termos de parágrafos acordados em rascunho, dois dos cinco parágrafos, o 1 e o 5, foram acordados e muito dos outros parágrafos também."
Segundo ele, um tema que continua em aberto é a "proposta para um compromisso para um mundo livre de degradação da terra, que continua em discussão." No mais, há alguma discussão sobre linguagem.

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) E MEIOS DE IMPLEMENTAÇÃO

O delegado de Barbados, que apresentou o balanço das negociações dos dois temas, disse houve muto progresso ao londo do dia. "Tivemos discussões extremamente úteis no grupo de ODS. Nossa proposta recebeu muto interesse das delegações, mas não tivemos tempo para finalizar as consultas. Até que possamos fazer progresso no processo é pouco provável que consigamos desbloquear muitos dos assuntos que estão sendo discutidos," disse.
Em relação aos meios de implementação, ele disse que também houve um bom progresso. "As discussões foram vívidas e os delegados demonstraram muita flexibilidade. Houve o entendimento sobre como os assuntos precisam ser lidados no corpo da seção."
Ele disse que houve acordo na maior parte da seção sobre capacitação, "exceto por detalhes menores. O G77 e os Estados Unidos não deram retorno para finalizar este parágrafo,"criticou.
Houve ainda a proposta de "deletar toda a seção de comércio, com exceção do primeiro parágrafo, que já foi acordado. Algumas delegações ainda não deram retorno para esta opção."

ÁGUA E MUDANÇAS CLIMÁTICAS

As delegações chegaram a acordo em dois parágrafos relativos à água, segundo a delegada da Guatemala, que apresentou os avanços no tema. "Não houve acordo em detalhes mais específicos e faltou acordo em relação a águas internacionais." Ela alegou que ainda é preciso atingir o equilíbrio em relação a mudanças climáticas.

REDUÇÃO DE DESASTRES

A delegação do Japão alegou que houve progresso nas negociações e que foi formada uma mensagem simples, mas forte.

Fonte: www.g1.com.br

By Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é importante para nós. Obrigado por acessar nosso blog. Parabéns.