Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

sábado, 10 de outubro de 2015

Fim de greve: aulas na UFAM reiniciam dia 19 de outubro (2015)


 Na capital, a decisão foi tomada após a 1ª rodada de avaliação sobre esse ponto de pauta da Assembleia Geral (AG) realizada nesta quinta-feira (8)


MANAUS - Em Assembleia Geral realizada nesta quinta-feira última, dia 8 de outubro, às vésperas de o movimento grevista completar 110 dias, os docentes da sede da Universidade Federal do Amazonas - UFAM aprovaram, por unanimidade, a saída unificada nacional de greve para o dia 16 deste mesmo mês. A decisão será encaminhada ao Comando Nacional de Greve - CNG, que irá avaliar o resultado das AGs em todo o país e indicar a data de encerramento da paralisação.
Também votaram pela saída unificada no dia 16 os docentes da UFAM em Benjamin Constant (dos 28 estudantes, 26 votaram a favor do encerramento da greve) e em Humaitá (16 contra 1), em que a ampla maioria também acatou a sugestão, sendo essa, portanto, a data de saída. Só em Itacoatiara e em Parintins, os docentes votaram pelo encerramento antes desse prazo.
Na capital, a decisão foi tomada após a 1a rodada de avaliação sobre esse ponto de pauta da AG. As aulas na UFAM serão retomadas no dia 19, conforme decisão da categoria. Na próxima semana, o Comando Local de Greve - CLG dos docentes deve se reunir com a Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (Proeg) para definir, com base em estudo realizado pelo movimento, a reposição das aulas e o posterior cronograma de atividades do período 2015/2.
Professor de Filosofia e integrante do CLG, José Belizário enfatizou a importância do planejamento como estratégia para manter a unidade e a normalidade das atividades na instituição. "Desde o início da paralisação, nossa conduta foi pautada por princípios como organização e planejamento, e isso deve ser aplicado também ao calendário acadêmico. Além disso, trata-se de um recurso para evitar o aprofundamento do caos acadêmico instalado após o reinício das aulas", afirmou.

CATEGORIA REJEITA PROPOSTA

Na rodada de AG realizada na sede e nos demais campi da UFAM, a categoria também rejeitou, por ampla maioria, a proposta de reajuste salarial do governo federal. O ofício enviado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - MPOG ao ANDES-SN no último dia 24 de setembro prevê a redução da proposta de 4 para 2 anos e percentual de 10,5% (sendo 5,5% a incidir em agosto de 2016 e 5% para janeiro de 2017).
O documento apresenta também plano de reajuste nos benefícios sociais, com aumento no auxílio-alimentação (R$ 373 para 458), o auxílio-saúde (R$ 117,78 para 145), e o auxílio-creche teve um reajuste de R$ 73,07 para 321. Contudo, a proposta apresentada mantém a essência da proposta inicial de parcelamento, que já havia sido rejeitada pela categoria. Com a mudança ministerial, as negociações em torno desta nova oferta devem continuar, apesar da suspensão do movimento grevista.
Na avaliação da categoria, a proposta do governo não atende a nenhum dos pontos de reivindicação da greve: defesa da autonomia universitária, manutenção do caráter público da Educação, melhores condições de trabalho, reestruturação da carreira e equiparação salarial entre ativos e aposentados.
Por isso, a criação de uma Comissão Permanente de Mobilização foi aprovada após encaminhamento de pauta apresentado pelo presidente da ADUA, José Alcimar de Oliveira. O núcleo vai integrar também as unidades fora da sede e deve contemplar a agenda de mobilizações previstas pela Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas).

Fonte: www.acritica.com.br
Por Major PM Castro Alves - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é importante para nós. Obrigado por acessar nosso blog. Parabéns.