Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O NÍVEL DE EDUCAÇÃO NO BRASIL ESTÁ A DESEJAR



EDITORIAL
MANAUS - Enquanto os japoneses deram uma lição de educação, de caráter, de personalidade e total equilíbrio, por ocasião do maior desastre natural ocorrido na terra do sol nascente,  que causou milhares de mortes, quando houve a necessidade de enfrentar quilométricas filas para receber pequena quantidade de água e alimentos, em que a vida estava no limite; enquanto os japoneses ensinavam o mundo dizendo como se comportar diante de situações sinistras, anormais, superando até certo ponto sentimentos pessoais para dar espaço ao companheiro necessitado, no Brasil, infelizmente, ainda presenciamos cenas lamentáveis de desordem e vandalismo, atos consequentes da falta de educação do cidadão, como aconteceu dia 8 de maio, em virtude da realização do concurso público da Prefeitura de Manaus.  Ao passo em que todos os brasileiros deveriam estar sensibilizados com data tão especial, já que o dia das mães  é considerado por todos o dia mais especial que existe e todos deveriam se preparar de corpo e de mente, e quando milhares de candidatos ao cargo público municipal de agente de trânsito e deveriam demonstrar total controle, equilíbrio e serenidade como virtudes básicas de concurseiros naturalmente dispostos a representar, trabalhar e desenvolver atividades em prol da sociedade, o que se viu foram cenas desastrosas, desordeiras e incabíveis, praticadas por inúmeros candidatos que ali se encontravam. O resultado gerou danos materiais ao patrimônio particular, patrimônio cedido ao poder público para a realização do certame.
Diante dessa horrenda situação, e ao fazer uma análise da tual realidade da educação brasileira, vemos que o grande fator negativo que prevalece para a existência de tantos homens com a base familiar desestruturada é o desmonte da família, é o formato que se pretende dar ao lar hoje em dia, em que filhos nascem e são abandonados, filhos que não respeitam os pais, pais que não dão atenção aos filhos, adolescentes rebeldes, um todo que tem destruído de fato a família brasileira. E quando unimos tudo isso à influência da mídia na sociedade, passamos a ter o verdadeiro desequilíbrio do cidadão, que passa a ter novo modo de pensar e de agir. Ao final, o resultado é negativo e assustador, origem de ações praticadas por cidadãos que acreditam que existe motivo para tal cometimento. Eles deveriam olhar para o Japão e analisar tudo que lá aconteceu.
Faz mister a sociedade repensar os modelos e formato de educação que recebemos, que devemos receber e como devemos receber, pois nada vai adiantar à sociedade exigir servidores qualificados, profissionais responsáveis, dedicados, ilibados, probos, se não nos preocupamos com a formação do cidadão de modo geral e pricipalmente na base da família. Vale destacar que quem ocupa cargo público  são homens  e mulheres oriundos da sociedade. Nesse sentido, agentes de trânsito, médicos, prefeitos, vereadores, policiais militares, civis, federais, dentre tantos outros profissionais, praticarão crimes, infração, transgreção, etc. maculando e esteriotipando a profissão e a função que exercem.
Imaginemos todos nós se parte dos vândalos que promoveram aquela muvuca ontem durante o certame do concurso público da Prefeitura de Manaus conseguirem ocupar cargo público. Como se portarão? Como se comportarão? Como praticarão seus atos no dia a dia? Que rumo darão aos serviços em prol da sociedade?
A reflexão que faço e que  levo a todos é a necessidade de mudança do modus operandi para educar o homem, desde a base familiar até a formação técnica ou profissional. Tomemos o exemplo dos nossos irmãos japoneses que ensinaram o mundo com um comportamento espetacular, frente a uma situação sinistra e desunama.
Quais políticas públicas serão e poderão ser praticadas para a reversão desse quadro? De que modo a sociedade pode mudar e melhorar a preparação e qualificação do homem para inserir no mercado de trabalho? Situações como esta nos leva a perceber em toda profissão existem maus homens, pois todo concurso público está aberto a todos indistintamente.
Vamos unir as forças e lutar por uma educação melhor em nosso país. Precisamos ter objetivos e finalidade e não medir esforços para promover uma educação que molde a vida de todos, visando ao bem estar da sociedade.
AFAMA. AÇÃO ENTRE AMIGOS.


Elaborado por Rubem Tadeu  - Presidente da AFAMA



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Sua opinião é importante para nós. Obrigado por acessar nosso blog. Parabéns.