Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

domingo, 31 de maio de 2015

Helicóptero com cinco ocupantes desaparece próximo a Atalaia do Norte-Amazonas


Resultado de imagem para atalaia do norte

ATALAIA DO NORTE - Na última sexta-feria, 29, por volta das 18h30min (20h30min horário de Brasília) um helicóptero contratado pelo Distrito Sanitário Especial Indígena - DSEI em Atalaia do Norte, desapareceu após fazer retornar da aldeia "Pintiaquinho", no Vale do Javari (rio Itacoaí), e conduzir duas indígenas grávidas que se encontravam em estado de saúde comprometido. Além do piloto, as duas indígenas, estavam também uma acompanhante e uma enfermeira.
O destino era a cidade de Tabatinga-AM, mas nas proximidades de Atalaia do Norte, os últimos registros na Base Aérea de Tabatinga confirma a falta de contato via rádio com a aeronave, o que de imediato foi noticiado às autoridades locais  de Atalaia do Norte e Benjamin Constant (cidades ligadas pela Rodovia BR 307). De pronto, a Defesa Civil e a Polícia Militar das duas cidades deslocaram-se para o ponto mais provável do desaparecimento, na BR-307, que de acordo com a Base Aérea de Tabatinga teria sido próximo do km 12, sentido Atalaia - Benjamin.
Além da escuridão noturna e a enchente dos rios da região, no momento inicial das buscas caía leve chuva, situações que dificultaram muito os trabalhos de entrada na selva. Não demorou para as buscas pararem e ficarem para o dia seguinte. Já pela manha, as equipes de busca em terra reiniciaram os trabalhos e por volta das 10h de sábado, um bimotor iniciou também as buscas. O reforço aéreo chegou depois, quando um cargueiro e dois helicópteros militares passaram a fazer sobrevoos. No final do sábado, a Força Aérea Brasileira - FAB informou que três possíveis sobreviventes teriam sido localizados acerca de 8 km de Atalaia do Norte. Alimentos e medicamentos foram lançados próximo desse ponto para os prováveis sobreviventes. O resgate seria feito logo ao amanhecer de domingo,  uma vez que anoitecia, as condições climáticas desfavoráveis e a densa floresta amazônica não permitiam a continuação das buscas. Todavia, quando a equipe terrestre retornou, veio a confirmação de que não eram os sobreviventes que haviam sido vistos acenando, membros da a equipe de resgata terrestre.
Pela manha deste domingo, 31, a FAB informou que as pessoas localizadas na selva realmente não eram os ocupantes da aeronave, mas sim membros da equipe de resgate terrestre. As buscas continuam mas até o fechamento deste artigo, nenhuma notícia positiva fora repassada pelas autoridades locais.


Elaborado por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Ministério Público Federal no Amazonas pede inclusão indígena nos Planos de Educação estaduais e municipais


Escola indígena em Manaus


MANAUS - O Ministério Público Federal - MPF no Amazonas expediu recomendações ao governador do Estado do Amazonas e aos prefeitos de 44 municípios do Estado, incluindo a capital, para que elaborem os Planos Estaduais e Municipais de Educação até o dia 24 de junho de 2015, prazo estabelecido na Lei n. 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação.
As recomendações pedem a inclusão da educação escolar indígena e de populações tradicionais de forma compatível com as estratégias nacionalmente estabelecidas e a ampa participação de representantes da comunidade educacional, da sociedade civil e, especificamente, de comunidades indígenas e populações tradicionais no processo de elaboração dos planos.
De acordo com o Procurador da República, Fernando Merloto Soave, autor das recomendações, Estado e municípios devem realizar consultas públicas como parte da elaboração do plano. Alguns municípios estão muito atrasados no processo de elaboração e, em consequência, a participação social é quase inexistente.
"Queremos saber a data e o local da realização das consultas públicas e garantir a efetiva participação da sociedade civil no processo de elaboração", informou. O controle social relativo ao andamento da elaboração dos planos educacionais pode ser feito por qualquer pessoa interessada, pelo site do Ministério da Educação.
Fernando Soave explicou ainda que planos estaduais e municipais de educação são instrumentos de diagnóstico, publicidade, controle social e planejamento, podendo ser utilizados pelo Ministério da Educação inclusive para definição de repasse de recursos voluntários para a área.
"O prazo legal para a elaboração do plano não retira a importância de os governos Municipal, estadual e federal garantirem a efetiva participação dos povos indígenas e comunidades tradicionais na definição de prioridades, de estratégias e de gestão compartilhada permanente da política educativa", completou.
A recomendação foi enviada ao governo do Estado e para as prefeituras dos municípios de Anamã, Anori, Apuí, Barcelos, Barreirinha, Beruri, Boa Vista do Ramos, Boca do Acre, Borba, Caapiranga, Canutama, Careiro da Várzea, Careiro, Codajás, Eirunepé, Envira, Guajará, Humaitá, Ipixuna, Iranduba, Itacoatiara, Itamarati, Itapiranga, Lábrea, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Manicoré, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Pauini, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira, São Sebastião do Uatumã, Silves, Urucará e Urucurituba.
O MPF-AM concedeu o prazo de dez dias para que os destinatários apresentem resposta em relação às recomendações.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Professores e funcionários de universidades federais iniciam greve



Professores em greve no Sergipe se algemam durante manifestação nesta quinta-feira (28) (Foto: Jorge Henrique/Futura Press/Estadão Conteúdo)



MANAUS - Finalmente a greve em algumas universidades federais no Brasil começou. Os servidores de 16 Estados: Alagoas, Amapá, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Sergipe e Tocantins, pedem reajuste salarial, reestruturação da carreira e aumento de investimentos nas instituições.
Ao longo dos próximos dias, professores e servidores de todas as universidades federais devem fazer assembleias para decidir se participam ou não do movimento nacional.
Os professores da Universidade Federal do Acre devem parar a partir de sexta-feira, 29.
No Mato Grosso do Sul, os professores da UFMS Também têm paralisação prevista. Ainda na sexta haverá paralisação dos docentes da UFSC, em Santa Catarina.
No Ceará, professores e técnicos da UFC, UFCA e Unilab ficarão de braços cruzados. No Paraná, a UFPR terá assembleia sobre a adesão ao movimento.
Dentre os pedidos dos servidores está o pedido para ampliar o repasse às universidades federais, muito embora tenha ocorrido recentemente o corte de R$ 9,42 bilhões no orçamento do MEC.

DATA MARCADA


Assembleia geral foi convocada pela Adufal, na segunda (25) (Foto: Divulgação/Adufal)


Em nota, o MEC informou na quarta-feira que se reuniu com as entidades em busca de diálogo e foi informado desde o início de que havia data marcada para a greve. "Isto não é diálogo. O diálogo supõe a vontade de ambas as partes de conversar, só recorrendo à greve em último caso", afirma o ministério.
O Presidente do Andes - SN, Paulo Rizzo, disse que considera que o MEC cessou o diálogo. "A decisão pela greve foi tomada após uma reunião com o ministério em que disseram não ter compromisso com o acordo de carreira que foi fechado com a Secretaria de Educação~Superior em 2014".
Em nota, outro sindicato que representa a categoria indicou a continuidade das negociações. "A Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (PROIFES-Federação) orientou aos filiados a aguardarem contraproposta do Ministério do Planejamento para então avaliar se a base indicará greve no Ensino Superior Público", informou a Proifes.

Fonte: www.g1.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

terça-feira, 26 de maio de 2015

MEC desvincula do ProUni 74 instituições de ensino por irregularidade


Cerca de 74 instituições de ensino são desvinculadas do programa Prouni por falta de regularização


MANAUS - Por falta de comprovação de regularidade fiscal, o Ministério da Educação - MEC desvinculou 74 instituições de Ensino Superior do Programa Universidade para Todos - ProUni.
Desse total, 11 são reincidentes e só poderão aderir novamente ao programa após o prazo de um ano. As demais 63 mantenedoras podem apresentar recurso administrativo contra a decisão na Secretaria de Educação Superior.
A decisão e a lista com as mantenedoras desvinculadas estão publicadas na edição de hoje,25, do Diário Oficial da União. De acordo com a decisão, não haverá prejuízo para os estudantes que já participam do ProUni e eles terão as matrículas preservadas pelas mantenedoras.
Ao informar a desvinculação, a decisão cita o artigo 1o da Lei n. 11.096, de 13 de janeiro de 2005, que determina que a mantenedora deve comprovar, ao final de cada ano-calendário, a quitação de tributos e contribuições federais administrados pela Receita Federal, sob pena de desvinculação do ProUni, sem prejuízo para os estudantes beneficiados e sem ônus para o Poder Público.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Primeiro dia de inscrições do Enem registra mais de 400 mil candidatos



MANAUS - Balanço divulgado nesta noite, 25, pelo Ministério da Educação - MEC mostra que 410 mil estudantes se inscreveram no Exame Nacional do Ensino Médio - Enem até às 19h de hoje, primeiro dia de inscrições. O MEC espera que mais de 9 milhões de pessoas se candidatem aos testes até o dia 5 de junho.
Os candidatos poderão se inscrever exclusivamente pela internet, no site do Enem. O exame custa R$ 63,00 (sessenta e três reais) que deverão ser pagos até o dia 10 de junho. As provas serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro em mais de 1,7 mil municípios em todo o país.
O Enem foi criado para avaliar os alunos que estão concluindo o Ensino Médio ou que já o concluíram em anos anteriores. Não importa a idade nem o ano do término do curso, basta que o interessado faça sua inscrição na página eletrônica do Enem. Estudantes que não terminarão o Ensino Médio este ano podem participar como treineiros, ou seja, o resultado não poderá ser usado para participar de programas de acesso ao ensino superior.
As notas das provas podem ser usadas para o candidato participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada - Sisu, que disponibiliza vagas no ensino superior público; o Programa Universidade para Todos - ProUni, que oferece bolsas em instituições privadas; e o Sistema de Seleção Unificada do Ensino Técnico e Profissional - Sisutec, que garante vagas gratuitas em cursos técnicos. A participação do Enem é pré-requisito para firmar contratos pelo Fundo de Financiamento Estudantil, obter bolsas de intercâmbio pelo Programa Ciência sem Fronteiras e certificação do Ensino Médio.
Estudantes que vão concluir o Ensino Médio este ano em escolas públicas e participantes que declararem carência são isentos da taxa. Podem solicitar a isenção por carência, aqueles que têm uma renda familiar por pessoa igual ou inferior a um salário mínimo e meio e que cursaram todo o Ensino Médio em escola da rede pública ou como bolsista integral em escola da rede privada. As informações devem ser comprovadas. O participante deve acompanhar na página de inscrição se o pedido de isenção foi aceito.
É também na inscrição que os participantes podem solicitar atendimento especializado ou específico. O atendimento especializado é oferecido a pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia (alteração neurológica que dificulta a aprendizagem de números) ou com outra condição especial.
Após fazer a inscrição, participantes transexuais e travestis podem pedir o uso do nome social, também pela internet, entre os dias 15 e 26 de junho.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br
rtcastroalves@gmail.com

Brasil precisa construir 64 mil novas bibliotecas nas escolas até 2020 para cumprir meta


Escolas públicas precisam construir mais de 64,3 mil bibliotecas até 2020

MANAUS - O Brasil precisa construir mais de 64,3 mil bibliotecas em escolas públicas até 2020 para cumprir a meta de universalizar esses espaços, prevista na Lei 12.244. A legislação, sancionada em 24 de maio de 2010, obriga todos os gestores a providenciarem um acervo de, no mínimo, um livro para cada aluno matriculado, tanto na rede pública quanto privada.
A cinco anos do fim do prazo, 53% das 120,5 mil escolas públicas do país não têm biblioteca ou sala de leitura. A contar de hoje, seria necessário levantar e equipar mais de 1 mil bibliotecas por mês para cumprir a lei.
O levantamento foi feito pelo portal Qedu, da Fundação Lemann, a pedido da Agência Brasil, com base em dados do Censo Escolar 2014 - levantamento anual feito em todas as escolas do país. Esses são os últimos números disponíveis e trazem informações tanto de instituições de Ensino Fundamental quanto de Ensino Médio.
Os dados mostram grande disparidade regional na oferta de bibliotecas escolares. Enquanto na Região Sul 77,6% das escolas públicas têm biblioteca, na região Norte apenas 26,7% das escolas têm o equipamento e na região Nordeste, 30,4%. Na Sudeste, esse índice é 71,1% e na Centro-Oeste, 63,6%.
O Maranhão é o Estado com menor índice de bibliotecas escolares - apenas 15,1% das escolas têm o equipamento - seguido pelo Acre, 20,4% e pelo Amazonas, 20,6%. Na outra ponta do ranking, estão o Distro Federal, 90,9, o Rio Grande do Sul, 83,7% e o Rio de Janeiro, 79,4%.
A Agência Brasil não conseguiu entrar em contato com a Secretaria de Educação do Maranhão. As Secretarias do Amazona e do Acre não responderam ao pedido da reportagem.
De acordo com o levantamento, também há diferenças na oferta de bibliotecas entre as escolas de Ensino Médio e Fundamental. Em melhor situação, 86,9% das escolas públicas de Ensino Médio públicas têm bibliotecas ou salas de leitura. No Ensino Fundamental, entretanto, o índice cai para 45%.
O coordenador de projetos da Fundação Lemann, Ernesto Martins Faria, explicou que, na edição de 2014, o Ministério da Educação - MEC, responsável pelo Censo Escolar, juntou os dados de sala de leitura e bibliotecas, ao passo que, em anos anteriores, esses números eram descritos de forma separada. Por esse motivo, não é possível comprar a evolução dos dados com anos anteriores.
"A gente tem que pensar especificações que garantam que a criança tenha ambientes propícios para praticar a leitura. É pouco viável, do ponto de vista orçamentário e de factibilidade, a universalização das bibliotecas no prazo estipulado em lei. Temos que pensar como promover mais espaços para leitura e disponibilizar mais conteúdos para os alunos", disse Faria.
Para a diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo, Christine Fontelles, faltam recursos para todas as áreas da educação e, por esse motivo, a leitura não costuma estar entre as prioridades dos gestores. Coordenadora do Projeto Eu Quero Minha Biblioteca, que ajuda professores, diretores, pais e alunos a requisitar e implantar bibliotecas nas escolas, ela ajuda na articulação com as secretarias de educação e o MEC.
"O fato central é que não se dá importância para a biblioteca. Nós somos um país que não dá valor para a biblioteca, que ainda não tem a noção de que a educação para a leitura é uma coisa que deve acontecer desde sempre, e que a biblioteca pública é o equipamento fundamental para que famílias e escolas possam desenvolver essa habilidade no jovem", defendeu Christine em entrevista à Agência Brasil.
Segundo ela, é preciso que a biblioteca tenha papel central dentro da escola. "O país perde um grande tempo ao não munir as escolas desse equipamento e não promover uma campanha de expressão nacional para que as famílias se envolvam na formação leitora das crianças. É importante que a biblioteca seja a casa do leitor, não um depósito de livro", afirmou.
Para o Presidente do Instituto Pró-Livro, Antônio Luiz Rios, uma biblioteca na escola contribui para a formação literária, melhora a escrita, o vocabulário e é fundamental para a formação do cidadão.
"O hábito da leitura começa em casa, com a família. mas é preciso seguir nas escolas, com acervo interessante e profissionais capacitados. Sem uma base leitora forte, o aluno não tem uma boa formação", acredita. "Com a leitura, o cidadão pode ter acesso a todo o conhecimento humano, ele não é mais guiado, tem a possibilidade crítica. O Brasil ainda não despertou para a importância da leitura", acrescentou Rios.
De acordo com a pesquisa Retrato da Leitura no Brasil 2012, feita pelo Instituto Pró-Livro, as bibliotecas escolares estão à frente de qualquer outra forma de acesso ao livro para crianças e adolescentes de 5 a 17 anos.
O Ministério da Educação informou que a instalação de bibliotecas é uma responsabilidade das escolas. De acordo com a assessoria da pasta, as instituições de ensino públicas recebem recursos federais para investimento em estrutura e cabe à escola decidir como gastar esse dinheiro.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br
rtcastroalves@gmail.com

sábado, 23 de maio de 2015

Programa Educa Mais Brasil oferece mais de 11 mil bolsas em instituições particulares no Amazonas


Resultado de imagem para www.educamaisbrasil

MANAUS - Estão abertas as inscrições para o Educa Mais Brasil, programa de inclusão educacional que disponibiliza bolsas de estudos de até 70% para estudantes que não têm condições de pagar o valor integral da mensalidade em instituições de ensino particulares.
No Amazonas estão sendo ofertadas mais de 11.900 (onze mil e novecentas) vagas para o segundo semestre de 2015, distribuídas entre instituições de ensino de 12 municípios. Em Manaus, há oportunidades para ensino básico, graduação, pós-graduação, cursos técnicos, cursos profissionalizantes e de idiomas. Os candidatos às vagas podem escolher entre os cursos disponíveis no site.
"Ao conceder bolsas de estudo em diversas etapas do enino, contribuímos para a capacitação de profissionais e por consequência de uma mão de obra qualificada. Esses profissionais certamente terão mais condições de colaborar para o crescimento econômico-social do país", afirma Andreia Torres, Diretora de Expansão e Relacionamento do Educa Mais Brasil.

INSCRIÇÕES

Para conseguir o benefício, o candidato deverá acessar a página oficial do programa (www.educamaisbrasil.com.br) e realizar a inscrição. Mais informações podem ser adquiridas na central de atendimento: capital Manaus e região metropolitana de Manaus, 4007-2020; e demais localidades, 0800-724-7202.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

quarta-feira, 20 de maio de 2015

UEA e Harvard fecham acordo para pesquisa sobre qualidade do ar




MANAUS - A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas - Fapeam assina, nesta quinta-feira, em Cambridge, nos Estados Unidos, um acordo de cooperação acadêmica entre a Universidade do Estado do Amazonas - UEA e a Universidade de Harvard.
Com a parceria, a UEA pretende realizar pesquisas e financiar a formação de especialistas em engenharia e controle da qualidade do ar. O acordo prevê o intercâmbio de alunos e professores, tanto da UEA quanto de Harvard. "O objetivo é compartilhar e trocar experiências com esta conceituada instituição", disse o Diretor-Presidente da Fapeam, René Levy Aguiar.
O Reitor da UEA, Cleinaldo Costa, disse que a parceria pretende reforçar o processo de excelência na instituição. "A aproximação com Harvard, bem como o estabelecimento desta parceria, consolidam um momento histórico para o Amazonas. Este intercâmbio demonstra o início de uma caminhada conjunta e o reconhecimento de todo o esforço que a universidade realizou e continuará realizando para buscar excelência no ensino e na educação de nível superior no Amazonas", declarou.
As pesquisas terão como foco o monitoramento ambiental, a tecnologia da informação e o desenvolvimento de ferramentas computacionais para permitir a comunicação em tempo real com a rede de sensores, a visualização em sistemas de informações geográficas, que incluirá outras informações como tráfego e localização de indústrias, dentre outros. Serão ainda desenvolvidos aplicativos para dispositivos móveis como tablets e smartphones para que a informação gerada pelos senhores chegue à população e aos profissionais envolvidos.

Fonte: www.diariodoamazonas.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

segunda-feira, 18 de maio de 2015

UFAM homologa implantação do curso de Medicina em Coari

Entrada do campus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em Manaus


MANAUS - Dois dias depois de representantes das comissões de infraestrutura, equipamentos e pessoal reunir com o Prefeito de Coari, Raimundo Magalhães, a Universidade Federal do Amazonas - UFAM divulgou em seu site, que em reunião realizada na manhã da última sexta-feira, 15, o Conselho Universitário da Instituição - Consuni homologou duas resoluções da Câmara de Ensino de Graduação - CEG, do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - Concepe, que tratam, respectivamente, da aprovação do Projeto Pedagógico, e regulamentação do Curso de Medicina (diurno) no Instituto de Saúde e Biotecnologia - ISB - Campus da UFAM em Coari.
O Prefeito Magalhães, que está cumprindo agenda de trabalho em Manaus comemorou a notícia. "Isso é um sinal de que estamos no caminho certo, e as instituições estão confiantes no nosso trabalho", disse. Magalhães aproveitou para dizer que hoje esteve reunido com a diretoria técnica do Sebrae/AM, Lamisse Cavalcante, em Manus, onde iniciou a discussão para uma grande parceria entre o Sebrae e a Prefeitura de Coari.
"Nosso objetivo é promover uma revolução na política de incentivo à agricultura familiar, através da implementação do Banco do Povo em Coari", garantiu. Na reunião ocorrida na semana passada entre o prefeito Magalhães e os representantes das comissões de infraestrutura, equipamentos e pessoal, o Arquiteto Emiliano Pereira, o médico e professor Ivan Tramujas e o médico Luiz Fernando, responsáveis pela articulação da implementação da escola de medicina em Coari, foi efetivada a parceira entre a UFAM e o Município de Coari, com a doação do terreno onde será construído o prédio da escola de medicina, localizado na estrada do Bairro Nazaré Pinheiro.
Segundo o arquiteto Emiliano Pereira, a obra está prevista para ser iniciada no início do ano de 2016, e deve ser concluída em 18 meses. O prédio terá uma área de 4.500m², com quatro pavimentos. Para a reitoria da UFAM, professora doutora Márcia Perales, a homologação da implantação do curso de Medicina em Coari é uma vitória de todos os envolvidos. "Quero agradecer a faculdade de Medicina porque foi muito importante, e será, no processo de implantação. Agradecer também ao Instituto de Ciências Biológicas - ICB e ao ISB de Coari. isso é uma conquista da UFAM, da sociedade, para que possamos não só ampliar vagas, mas ampliá-las numa área onde nós temos um quantitativo insuficiente de médicos para as demandas postas na sociedade. O Consuni fez isso com muita clareza e serenidade".

INOVAÇÃO

Conforme a publicação do sote da instituição, o Projeto Pedagógico do Curso de Medicina a ser implantado no ISB/UFAM Coari, possui rincípios inovadores na formação dos futuros bacharéis de Medicina, que serão médicos generalistas, com atenção essencialmente voltada à Saúde Básica - SUS. De acordo com esse novo modelo, o aluno é colocado precoce - 1o período - e intensamente - 8 horas práticas por dia - em atividade na Unidade Básica de Saúde - UBS e fará visitas domiciliares, no cumprimento de uma disciplina chamada 'Família e Comunida', que figura longitudinalmente em todos os períodos que antecedem ao Estágio Curricular Supervisionado. Ou seja, desde o início, o aluno integra-se à equipe e faz, tutelado, todas as atividades atinentes à atenção básica. Esse modelo de formação permite que o acadêmico de Medicina se integre a um sistema ordenado, voltado para o perfil epidemiológico,  proporcionando a aquisição de conhecimentos técnicos, responsabilidade social e atitudes eticamente relevantes.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

Ifam Amazonas têm 2,5 mil vagas disponíveis em cursos técnicos de nível Médio





MANAUS -  Com mais de 2,5 mil vagas para os cursos técnicos de nível médio na modalidade subsequente, Educação à Distância - EAD e Proeja, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - Ifam abre hoje, 18 de maio, as inscrições para o Processo Seletivo 2015, 2o semestre.
As vagas são para os Campi de Coari, Humaitá, Itacoatiara, Lábrea, Manaus Centro, Maués, Parintins e Presidente Figueiredo, além dos polos em Barreirinha, Borba, Iranduba, Manaquiri, Nhamundá e Novo Airão. Os interessados podem se inscrever pelo portal www.ifam.edu.br ou nos postos de atendimento nos municípios onde as provas serão realizadas.
O Reitor do Ifam, Antônio Venâncio Castelo Branco, informou que o valor da taxa de inscrição foi reduzido. Este ano, a taxa ficará em R$ 15,00. "Queremos que mais pessoas tenham a oportunidade de realizar nossa prova e, com isso, alcançar sua vaga em uma instituição pública, gratuita e de qualidade", disse.
Os editais serão disponibilizados por meio do portal acima descrito. As inscrições acontecem até dia 7 de junho. Para aqueles que forem solicitar a isenção de taxa, o período de solicitação é de 18 a 20 de maio. As provas serão aplicadas em 21 de junho de 2015.

CURSOS

A Modalidade Subsequente é voltada àqueles candidatos que já possuem certificado do Ensino Médio ou equivalente e que desejam obter diploma profissionalizante. Neste certame, os cursos técnicos oferecidos são: técnico em Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática, Recursos Pesqueiros, Secretariado, Administração, Agronegócio, Informática, Vendas, Edificações, Eletrotécnica, Mecânica, Meio Ambiente, Química, Segurança do Trabalho e Agropecuária.
Para a modalidade EJA-Proeja, as vagas são destinada apenas ao Campus Manaus Centro com o curso técnico em Edificações. Já para a EAD, os cursos são: Técnico em Agente Comunitário de Saúde, Eventos, Agropecuária, Recursos Pesqueiros, Meio Ambiente, Rede de Computadores e Serviços Públicos.
O Ifam também está disponibilizando mais de 300 vagas destinadas ao programa Profuncionário, que visa à formação técnica de servidores administrativos de escolas municipais e estaduais, efetivo exercício,, em habilitação compatível com a atividade que exerce na instituição. Os cursos são Alimentação Escolar e Secretaria Escolar, nos municípios de Borba, Manaus, Maués, Novo Airão e Parintins, a fim de alcançar merendeiras e secretárias.

Fonte: wwwdiariodoamazonas.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

sábado, 16 de maio de 2015

Associação dos Atalaienses conclui entrega de colchões para universitários em Manaus





MANAUS -  Após fechar nova parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social - SEAS, a AFAMA (Associação dos Filhos e Amigos Atalaienses Residentes em Manaus) concluiu mais uma etapa das atividades que desenvolve em prol do estudante universitário oriundo do município de Atalaia do Norte-AM. Graças a benevolência da Senhora Regina Fernandes do Nascimento, titular da pasta, os benefícios têm chegado diretamente ao estudante, após levantamento das necessidades apresentadas.
Cerca de 20 universitários foram agraciados com a doação de colchões. Segundo o Presidente da AFAMA, Rubem Tadeu, no início de cada é feito um levantamento junto aos estudantes com o objetivo de mapear as maiores dificuldades que eles encontram ao virem morar em Manaus, especialmente porque vários novos alunos chegam para iniciar seus estudos. Dentre as várias dificuldades que eles encontram, a AFAMA, na medida em que é possível, atende as demandas de alimentação e colchões. Disse ainda Rubem Tadeu que não é fácil  a aquisição desses produtos, pois ainda é raro encontrar pessoas com boa vontade de querer ajudar. Daí a importância que a AFAMA dá hoje à Senhora Regina Fernandes, uma vez que ela não tem medido esforços para atender os pedidos que são feitos a ela.
Desde o início do ano, os alimentos que a SEAS dispõe tem sido enviado para o interior do Estado, a fim de atender as famílias atingidas pela enchente, que já deixou mais de 145 mil pessoas em precárias condições de moradia. Contudo, a SEAS pode ajudar a AFAMA com os colchões, que serão de fundamental importância para os estudantes beneficiados.
Rubem Tadeu ainda afirmou que a AFAMA manterá as atividades em dia, buscando novas parcerias a fim de auxiliar mais ainda o estudante universitário oriundo de Atalaia do Norte, porque sabe que o futuro desses jovens depende principalmente da dedicação aos estudos. Com as condições mínimas para isso, é certo que as conquistas pessoais e profissionais chegarão a todos.
Em novo levantamento, cerca de cinco estudantes ficaram sem colchões, porém, de acordo com o Presidente da AFAMA, em breve todos serão beneficiados e ninguém ficará sem colchão.
Para aqueles que desejarem contribuir para manter os estudantes na busca do sucesso pela via da educação, ficam os contatos para fecharem uma parceria com a AFAMA: rtcastroalves@bol.com.br

Elaborado por Daniele Castro Alves - Secretária da AFAMA

P.S. Em breve as fotos dos estudantes agraciados serão divulgadas.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Em assembleia geral, indicativo de greve na UFAM é aprovado pelos docentes para o próximo dia 29

Resultado de imagem para greve ufam 2015



MANAUS - No início da tarde da última quinta-feira, 14, os docentes da Universidade Federal do Amazonas - UFAM aprovaram, com 67 votos a favor, o indicativo de greve para o próximo 29 de maio. A decisão foi tomada em Assembleia Geral na sede da Associação dos Docentes da UFAM - ADUA. Com isso, a categoria se soma a professores de outras universidade públicas nacionais que também deliberaram ao movimento. Até o momento, 14 instituições federais de ensino decidiram pelo indicativo de greve.
Mais de 120 docentes sindicalizados e não filiados compareceram à Assembleia Geral, além de técnico-administrativos e discentes. O auditório da ADUA, com capacidade para 80 pessoas, ficou pequeno para o número de participantes. Dos cem votantes, apenas 30 se posicionaram contra o indicativo. Houve ainda três abstenções.
Uma nova Assembleia Geral está marcada para o dia 27 deste mês, em local a ser definido pelo comando local de mobilização, na qual a categoria irá deliberar sobre a deflagração do movimento paredista. "Se aprovada a deflagração da greve, a deliberação deverá ser comunicada à Reitoria num prazo de 48 horas anterior ao dia da deflagração - 29 de maio", disse o presidente da ADUA, professor José Alcimar.

ASSEMBLEIA GERAL

Iniciada pelo presidente da ADUA às 10h30min desta quinta-feira, a Assembleia Geral contou com informes sobre o cenário atual do país, em que se destacam medidas de retirada de direitos dos trabalhadores e ainda corte nos recursos destinados à educação. "A política de ajuste fiscal do governo tem implicado em desajuste social", disse Alcimar, referindo-se às condições de acesso e permanência dos trabalhadores e estudantes das universidades federais, onde as condições de ensino, pesquisa e extensão, na avaliação do sindicato, estão cada vez mais precarizadas.
O Primeiro Vice-Presidente da Região Norte I do ANDES-SN, Antônio José Vale da Costa, destacou durante, os informes, que concomitante à assembleia para a deliberação sobre o indicativo de greve, ocorria também a segunda reunião de negociação entre representantes do funcionalismo público e do governo, em Brasília, voltada a discutir a pauta conjunta dos trabalhadores. O resultado desse encontro deve ser avaliado nesse fim de semana pelo ANDES.
Favorável à aprovação do indicativo, a professora do Instituto de Ciências Humanas e Lestras - ICHL da UFAM, Patrícia Sampaio, citou o caso da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, onde as aulas foram suspensas nas faculdades de Comunicação Social e de Direito devido o atraso no pagamento de empresas que cuidam da limpeza e da segurança da instituição. "Não há recursos para a participação dos professores em congressos. O processo de terceirização dentro da universidade já está anunciado, não é uma paranoia. Os cortes para ciência e tecnologia não começaram agora. Por isso, eu voto pelo indicativo de greve nessa assembleia", completou a docente.
Também favorável ao indicativo, o docente do Instituto de Ciências Biológicas - ICB, Welton Yudi, Oda, criticou o slogan do governo "Brasil, Pátria Educadora", ao fazer um contraponto com os milhares de professores do ensino básico da rede pública que estão em greve em todo o país. "Antes eu via os professores da Educação Básica sobrecarregados e ficava preocupado. Hoje eu tenho inveja da luta deles. Hoje eu tenho que dar aula na graduação e pós-graduação e ainda no Plano Nacional de formação de Professores da Educação Básica - ParFot - para tentar ter uma qualidade de vida. Nós não queremos fazer uma greve que se arraste por meses, até porque o sindicato não tem dinheiro para arcar com isso, queremos pressionar o governo para que as respostas venham logo", afirmou Oda.
Com posicionamento contrário ao indicativo de greve, a professora e diretora do ICB, Sônia Carvalho classificou a atual conjuntura do país como inadequada para a realização de reivindicações, com o movimento correndo o risco de sair desmoralizado caso a greve seja deflagrada e a categoria não consiga ter a pauta atendida. A docente  levantou ainda a discussão sobre a migração dos discentes das universidades públicas para instituições privadas, o que faz com que o governo entenda que as universidades que essas últimas forma mais que as instituições públicas.

ATO PÚBLICO

Antes da Assembleia, professores técnico-administrativos e estudantes da UFAM realizaram um ato público no Bosque da Residência, na entrada do Campus Universitário, para marcar o Dia Nacional de Paralisação das Instituições Federais de Ensino - Ifes e dos servidores públicos federais. A mobilização teve como objetivo alertar a comunidade acadêmica e a sociedade em geral sobre os prejuízos decorrentes do corte de recursos destinados à Educação  e que afeta diretamente as atividades de ensino, pesquisa e extensão nas universidades brasileiras.
"Hoje é um dia de advertência ao governo federal, para que abra efetivo canal de negociação com os servidores públicos federais e dê respostas à pauta unificada da categoria, que inclui, entre outras coisas, mais verbas para o funcionalismo público, estruturação da carreira dos trabalhadores e melhores condições de trabalho", disse o Primeiro-Secretário do ANDES-SN, Jacob Paiva.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

quinta-feira, 14 de maio de 2015

MEC anuncia provas do Enem 2015 para 24 e 25 de outubro


Resultado de imagem para enem 2015


BRASÍLIA - As provas do Exame Nacional do Ensino Médio - Enem 2015 ocorrerão nos dias 24 e 25 de outubro. As inscrições serão feitas pela internet, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep, entre as 10h do dia 25 deste mês e 23h59min do dia 5 de junho de 2015, horários de Brasília. A informação foi divulgada hoje, 14, pelo Ministério da Educação - MEC.
No ano passado, cerca de 6,2 milhões de estudantes fizeram o Enem. A nota do exame pode ser usada para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada - Sisu, que disponibiliza vagas no ensino superior público; o Programa Universidade para Todos - ProUni, que oferece bolsas em instituições privadas; e o Sistema de Seleção Unificada do Ensino Técnico e Profissional - Sisutec, que garante vagas gratuitas em cursos técnicos.
O Enem também é pré-requisito para firmar contratos pelo Fundo de Financiamento Estudantiil - Fies, obter bolsas de intercâmbio pelo Programa Ciência sem Fronteiras e certificação do Ensino Médio.

Fonte: www.acritica.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br