Google+ Followers

LEIA O TEXTO EM OUTRAS LÍNGUAS / READ TEXT IN OTHER LANGUAGES

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Vandalizar não resolve. Dialogar é preciso





ATALAIA DO NORTE - Em junho de 2013, durante a realização da Copa das Confederações, o Brasil registrou um dos momentos mais importantes dos úlitmos anos. Com o slogan “o gigante acordou”, a população de todas as classes sociais foi para as ruas protestar contra a corrupção que se enraizara no país, gerando sensação de impunidade de todas as ordens. Concomitantemente, a falta de políticas públicas fez a população exigir das autoridades seriedade no trato com a coisa pública. O caos que se instalara na saúde (hospitais em ruínas, pacientes sem atendimentos, sem leitos e morrendo nos corredores); nas escolas (estruturas abandonadas, qualidade de ensino ultrapassada, alunos estudando sentados no chão e professores mal pagos e sem preparação); transporte público caro e sem condições para uso de passageiros e gastos públicos exorbitantes nas obras da Copa, assombraram a população. As pessoas não acreditavam que era possível gastar tanto em eventos esportivos e na Copa do Mundo, enquanto a saúde, principalmente, passava por um casos generalizado.
Em tão pouco tempo o governo brasileiro liberou quase R$ 40 bilhões para a construção de estádios e obras correlacionadas à copa do mundo. Obras que literalmente transmitiam a ideia de que a corrupção mais uma vez imperaria e a incompetência predominaria. Era certo que os tudo ficaria pronto, contudo, todos tinham a certeza de que a corrupção e o superfaturamento se concretizariam até o final. O valor total do custo dos estádios, por exemplo, é 285% superior à previsão inicial (R$ 2,8 bilhões) anunciado pelo governo federal em outubro de 2007 (chegou a R$ 8 bilhões). O estádio Mané Garrincha estava orçado inicialmente em R$ 699 milhões e já consumiu até agora quase R$ 2 bilhões.
Atrelada a essas ações que contrariam a vontade e a necessidade da população, o governo brasileiro em mais uma desastrada ação que em nada beneficiará o país, aprovou total isenção de impostos à FIFA, ou seja, essa empresa poderá vender seus produtos, prestar serviços em benefício próprio e ainda assim não pagará nada para o país. Seus lucros estão estimados em R$ 8 bilhões, valor que supera as copas anteriores como na África do Sul 2010 – 7 bilhões e na Alemanha 2006 – 4,4 bilhões (Guia Muriaé, R7 e UOL). O Brasil deixa de arrecadar com isso R$ 1 bilhão. A FIFA ao contrário do que vai acontecer no Brasil, pagou os impostos devidos nas copas anteriores.
Desde 1950, o país nunca sonhou tanto com uma copa do mundo. As crianças, os jovens, os adultos, os idosos, enfim, todos queriam sentir o sabor e o valor de poder presenciar a seleção brasileira conquistar mais um título, o que reafirmaria a hegemonia no futebol mundial. Mas, insanamente a corrupção corroeu essa vontade, esse desejo, e tudo se transformou em um despertar, em um acordar e soerguer a cabeça e perceber que a forma com que esse sonho se instalara não condiz com a realidade vivida diariamente pelo cidadão brasileiro, que incondicionalmente necessita dos serviços públicos básicos.
Afinal, quem destruiu esse sonho? Os vândalos que tentam a todo custo protestar destruindo bens públicos e privados, como forma de demonstrar a insatisfação com a postura do governo brasileiro ou o próprio governo brasileiro que inverteu valores, elevando a importância dos eventos esportivos em detrimento de políticas públicas voltadas à saúde, à educação, ao transporte, à geração de emprego, etc.? Decerto, contudo, piorar a situação atual não é a melhor proposta que temos para construir um novo país. Isso demonstra o quanto não fomos preparados, educados, tampouco orientados para agirmos com prudência e inteligência. Não fomos devidamente transformados em cidadãos, cuja consciência do poder que possuimos para escolher os gestores, administradores da res pública, está aquém do ideal. Ficar inerte, calado, silente, não resolve. Reclamar de tudo, ou destruir, ou vandalizar, também não resolve. Sejamos inteligentes e busquemos o diálogo, façamo-nos entender e compreender; sejamos os responsáveis pela mudança e não os irresponsáveis pelo caos.

Elaborado por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Diretrizes para elaboração do Referencial Teórico no Trabalho de Conclusão de Curso

 
 
 
ATALAIA DO NORTE - O referencial teórico é a base que sustenta qualquer pesquisa científica. Antes de avançar, é necessário conhecer o que já foi desenvolvido por outros pesquisadores. Assim, o estudo da literatura, contribui em muitos sentidos: definição dos objetivos do trabalho, construções teóricas, planejamento da pesquisa, comparações e validação.
Para a elaboração do referencial teórico, são sugeridos nove passos:
 
1. Defina o assunto da sua pesquisa;
2. Reúna a bibliografia. Comece com pelo menos 20 referências para ter uma visão panorâmica sobre o assunto;
3. Dê uma olhada inicial nas referências e identifique a estrutura hierárquica do assunto de pesquisa. A essa estrutura vai do assunto mais geral ao mais específico, ou seja do método dedutivo ao indutivo.
4. Leia a bibliografia reunida com atenção e liste as ideias principais;
5. Identifique as ideias principais a serem aproveitadas em seu trabalho. Não se esqueça de indicar as fontes de cada ideia. Caso contrário, você estará plagiando;
6. Rotule todas as ideias para facilitar sua referência futura;
7. Organize as ideias em seções - normalmente entre 3 e 4 seções deverão aparecer - e subseções - em geral, 3 ou 4 para cada seção;
8. Escreva o referencial teórico seguindo a sequência hierárquica de apresentação dos assuntos. Dê preferência às ideias abordadas por diversos autores;
9. Conclua o referencial teórico identificando as principais ideias discutidas no seu texto e apontando para as questões de pesquisa em aberto na literatura.
 
Como fazer a escolha da área de pesquisa e assunto
 
A área de pesquisa corresponde ao seu campo de investigação. Normalmente a área de pesquisa é mais específica do que a sua área de estudo. Exemplos de áreas de pesquisa são: estratégia de operações, controle da qualidade e aprendizagem organizacional.
Os benefícios da especialização em uma área de pesquisa são: 1) estar a par do desenvolvimento mais recente naquele campo; 2) fazer um trabalho de pesquisa mais relevante e focalizado; e, 3) balancear integração e continuidade ao longo de diversos projetos.
Cada projeto de pesquisa deverá explorar um assunto dentro da área pesquisada. Citamos como exemplo a "formulação da estratégia de operações dentro de uma empresa de serviços", "a utilização de projeto de experimentos no controle de qualidade" e "a aprendizagem no desenvolvimento de novos produtos".
 
Fontes Bibliográficas
 
As principais fontes a serem consultadas para a elaboração do referencial teórico são os artigos em periódicos, os livros, working papers, as teses, as dissertações e os artigos em congressos.
Vejamos:
 
1. Artigos de Periódicos Científicos - use como base artigos de renome e com comitê de revisores. Artigos em Revistas (Veja, Exame e outras sem comitê científico de revisores) jornais, e material de divulgação comercial não devem ser usados em dissertações de mestrado, a não ser que tragam alguma informação indispensável ao trabalho. Artigos Científicos podem ser encontrados de duas maneiras: 1) procurando em base de dados como o portal da Capes; e, 2) analisando a bibliografia usada em outros estudos sobre o assunto que você já conheça.
2. Livros - use livros acadêmicos sobre o assunto de sua pesquisa. Evite livros para praticantes (aqueles de literatura de aeroporto), livros-texto (apesar de serem úteis na consolidação de aspectos básicos de seu trabalho), livros de circulação restrita, tais como apostilas ou cadernos informativos.
3. Working papers - os working papers são artigos em fase de elaboração, disponíveis mediante solicitação feita diretamente à secretaria do curso de pós-graduação onde o autor atua. Working papers costumam conter os avanços mais atualizados sobre uma determinada área de interesse. Solicite de autores conceituados ou mesmo dos centros de estudos ou universidades conhecidas pela excelência na pesquisa sobre o seu assunto de interesse (lembre que working papers são artigos que ainda não foram publicados; em geral, a única maneira de obtê-los é por solicitação direta aos autores).
A internet facilitou a obtenção de working papers. Pós-graduandos interessados na área de logística e no assunto "gestão da cadeia de estoques", podem fazer uma busca na internet sobre o assunto e serem direcionados a centros de excelência. Esses centros dispõem de uma série de working papers com os mais recentes resultados nas pesquisas neles elaboradas. Um exemplo pode ser encontrado no site www.iems.nwu.edu/supplychain. Veja a lista de working papers submetidos à publicação ali listados. A maioria desses papers pode ser obtida diretamente com o autor, mediante solicitação por e-mail.
4. Artigos em congressos - busque por artigos em conferências ou congressos nacionais e internacionais de renome. utilize preferencialmente artigos recentes - de até três anos atrás. Artigos em congresso apresentam qualidade bastante irregular. Muitas vezes, só servem como fontes bibliográficas para obter referências a outros autores. Costumam ser publicados em CD-ROM, contendo mecanismos eficientes de busca que podem agilizar sua pesquisa. A Abepro - www.abepro.org.br - dispõe, para comercialização, os anais dos últimos congressos nacionais de Engenharia de Produção - ENEGEP. Esse material pode ser utilizado para dar uma partida rápida na sua busca por artigos.
5. Teses e dissertações - busque teses e dissertações concluídas em universidades reconhecidas. Em particular, investigue aquelas desenvolvidas na Engenharia de Produção da UFGRS. Atualmente, os bancos de teses e dissertações se multiplicam e é fácil o acesso a esse tipo de publicação via download. Porém, cuidado para não copiar a estrutura e conteúdo da revisão elaborada por outros alunos. Isso seria um grave erro.
 
 
 
 
Estrutura do Referencial Teórico
 
A apresentação do Referencial Teórico deve seguir a sequência dos tópicos pesquisados, não dos autores pesquisados. Dentro de cada tópico, organize sua apresentação. O segredo de uma boa revisão da literatura é o planejamento. No caso de uma dissertação de mestrado, a revisão da literatura costuma ter 35 a 40 páginas.
Primeiro, planeje quais os tópicos serão abordados - seções, com cerca de 10 páginas - e, por fim, organize as ideias que serão lançadas em cada subseção, ou seja, parágrafos concatenados desenvolvendo cinco ou seis ideias.
 
Exemplos de Seções e Subseções:
 
1. Modelos de satisfação do cliente:
1.1. satisfação de clientes: conceitos e terminologia;
1.2. modelos propostos na literatura;
1.3. críticas aos modelos propostos
 
2. Pesquisa de Marketing:
2.1. uso da pesquisa de marketing;
2.2. etapas da pesquisa de marketing;
2.3. condução da pesquisa e apresentação dos resultados
 
3. Conceitos de manutenção:
3.1. conceitos de confiabilidade:
3.2. Manutenção centrada em confiabilidade
3.2.1. apresentação da MCC - o que é e quais as suas vantagens;
3.2.1. implementação da MCC - como é implementada;
3.2.3. aplicações da MCC - relatos de aplicações e resultados obtidos.
 
Evite apresentar a revisão da literatura no formato ficha de leitura, isto é, "o autor A disse isso", "o autor B disse aquilo", "o autor C disse outra coisa", etc. Encontre os pontos de concordância e divergência entre os autores e conte a história da pesquisa. Um exemplo de texto do tipo ficha de leitura é:
 
"Segundo Shingo (1996), a ideia central do Sistema Toyota de Produção é promover um fluxo harmônico dos materiais entre os postos de trabalho, produzindo componentes nas quantidades e nos momentos em que são necessários. Para tanto, a comunicação entre postos de trabalho deve ser promovida de forma eficiente".
"Para Ohno (1994), o Sistema Toyota de Produção pode ser resumido como "produzir nas quantidades certas e no momento em que as partes são necessárias". O autor frisa a importância do fluxo de informações entre os trabalhadores nas diferentes células ou postos de trabalho.
 
Observe como os dois autores estão dizendo essencialmente a mesma coisa, apesar de manifestarem suas ideias de maneira diferente. O seu trabalho como pesquisador é compreender qual a ideia central, identificar os pontos divergentes e pontos em comum entre os autores e escrever de forma clara e objetiva. Os parágrafos acima poderiam ser resumidos da seguinte forma:
 A ideia central do Sistema Toyota de Produção é promover um fluxo harmônico de materiais entre os postos de trabalho, produzindo componentes nas quantidades e nos momentos em que são necessários. Nesse sentido é importante promover um fluxo eficiente de informações entre trabalhadores nas diferentes células ou postos de trabalho (SHINGO, 1996; OHNO, 1994).
 Veja como o texto fica mais fácil de ler, contendo as ideias comuns a ambos os autores expostas de maneira direta, sem repetições. Além disso, os parágrafos não iniciam com "Segundo" Ohno (1994) ou, "Para Shingo (1996)", ou ainda "De acordo com Shingo (1996)", que são formas não muito elegantes de redação.
Para facilitar a organização da redação, construa uma matriz com a lista de tópicos nas linhas e autores nas colunas, para entender a relação entre estes elementos. Por exemplo:
 

Seções da Revisão: Estrutura do Texto
 
A revisão da literatura deve ser estruturada de forma a desenvolver o assunto de seus conceitos mais genéricos para assuntos mais específicos. A sequência da apresentação é, normalmente, a seguinte:
 
a) Conceituação e utilidade: o que é o assunto? Sobre o que você está falando (aspecto do assunto de seu interesse)? Quem criou os conceitos que você está utilizando? Quais os principais pesquisadores sobre o assunto? Quais são os benefícios e riscos da adoção da ideia - método, técnica, etc.? Em quais situações a ideia deveria ser implementada? Quais as vantagens e desvantagens da ideia, comparada a outros conceitos.
b) Implementação: como a ideia pode ser colocada em prática? Quais variáveis deveriam ser consideradas na implementação? Quais recursos e competências são necessários para tanto.
c) Resultados reportados: quem utilizou a ideia - método, técnica, modelo? Em que contexto ela foi utilizada e quais resultados foram obtidos na prática.
A ideia é localizar o leitor quanto ao assunto, apresentando o estado-da-arte disponível na literatura. Veja como livros-texto não vão ser muito úteis nesse contexto. Para reportar o estado-da-arte sobre o assunto, você certamente vai ter que considerar artigos em periódicos e artigos em congressos.
 
Referenciando obras no texto da revisão
 
Existem três estilos básicos de referenciação de obras em textos científicos: notas de rodapé. Batman muitas vezes se sentiu mais jovem do que Robin1.
1 Waine, B., 1989, Batman was may hero. International Journal of Freudian Studies, 6 (5), 102-289.
 
Números entre colchetes. A polícia de Gothan City é muito ineficiente [3].
[3] Waine, B., 1969. Why Batman can never go to the beach. Proceedings from the Third International Conference of the Solitary Heroes Society, Gothan City, 102-103.
(Autor, ano) e Autor (ano): Batman é o salvador de Gothan City (WAINE, 1969). Waine (1969) disse que Robin deveria ir para a Universidade e deixar Batman combatendo o mal sozinho.
 
A preferência é pelo último estilo apresentado; ele é o mais comumente utilizado em textos de Engenharia. Os dois primeiros estilos aparecem com frequência em artigos científicos, mas não em dissertações ou teses.
Quando citados ao longo do texto, os autores aparecem com a primeira letra maiúscula e as demais minúsculas: Ribeiro e Caten (2003) afirmaram que... Por outro lado, quando a citação é feita entre parênteses no final da frase, então os autores são citados em maiúscula (RIBEIRO e CATAN, 2003)
No caso de trabalhos com mais de três autores, ao longo do texto, cite os mesmos utilizando et al., abreviatura de et ali, que significa "e colaboradores". Assim, em vez de citar, Ribeiro, Fogliatto e Silveira (2005), cite apenas Ribeiro et al. (2005). Na lista de referências ao final do texto todos os autores são explicitamente citados.
No caso de trabalhos com mais de três autores, ao longo do texto, cite os mesmos utilizando et al., abreviatura de et alli, que significa “e colaboradores”. Assim, em vez de citar, Ribeiro, Fogliatto e Silveira (2005), cite apenas Ribeiro et al. (2005). Na lista de referências ao final do texto todos os autores são explicitamente citados.
No caso de citações a autores que aparecem em outras obras, use o apud: Deming apud Ribeiro (2008) afirmou que o objetivo da gerência deve ser o de ajudar as pessoas a executarem um trabalho melhor. Apud é um termo em latim que significa “citado por”. Observa-se que, apesar de apud e et alli serem termos estrangeiros, os mesmos não precisam ser grafados em itálico, pois já foram incorporados à língua portuguesa.
No caso de citações literais, além do ano, também deve ser citada a página: Deming apud Ribeiro (2008, p. 12) afirmou que “O objetivo da chefia deve ser o de ajudar as pessoas e as máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor”. Notem que, em português, o ponto final vai ao final (após fechar aspas).
No caso de citações longas (mais de três linhas de texto), use texto recuado de 4 cm e letra tamanho 10, conforme segue:
Elimine lemas, exortações e metas para a mão-de-obra que exijam nível zero de falhas e estabeleçam novos níveis de produtividade. Tais exortações apenas geram inimizades, visto que o grosso das causas da baixa qualidade e da baixa produtividade encontram-se no sistema estando, portanto, fora do alcance dos trabalhadores (DEMING, 1992, p.152).

Reunindo Idéias

O principal objetivo de uma revisão bibliográfica é reunir ideias oriundas de diferentes fontes, visando construir uma nova teoria ou uma nova forma de apresentação para um assunto já conhecido.
Os tipos básicos de composição são (a) reunir ideias comuns, (b) conectar ideias complementares entre si, (c) comparar ideias divergentes ou opostas. Veja alguns exemplos destes tipos de composição:
Reunindo ideias comuns: Os trade-offs em operações são dinâmicos (SKINNER, 1992; NEW, 1992). Skinner (1992) e Hayes & Pisano (1996), entre outros, investigaram o papel dos trade-offs na gestão de operações.
Conectando ideias complementares: Os trade-offs em operações são dinâmicos (SKINNER, 1992; NEW, 1992) e podem ser trabalhados de forma a reduzir seu potencial de conflito em uma empresa (SLACK, 1994; HAYES, 1996).
Comparando ideias divergentes: Ainda que alguns autores afirmem a existência de trade-offs na gestão de operações (por exemplo, Skinner, 1992; New, 1992), outros observam que empresas líderes de mercado são superiores em todas as dimensões competitivas (por exemplo, Schonberger, 1986; Collins and Schmenner, 1991).

Erros Comuns

Errar é humano, mas a banca avaliadora de seu trabalho normalmente desconsidera este tipo de fato. Sendo assim, consulte sempre o seu orientador relativamente a possibilidade de estar cometendo algum dos erros abaixo:
· Revisão muito breve (por pressa, falta de tempo, desinteresse, etc.); obras e autores essenciais não foram incluídos no trabalho.
· Revisão construída em cima de muito poucos autores ou estudos. Normalmente, este erro ocorre em paralelo com o primeiro erro, acima.
· Áreas afins não foram abordadas (por exemplo, otimização multivariada no contexto da utilização de projeto de experimentos para melhoria de processos; outro exemplo, custos das transações e logística no contexto de gestão da cadeia de suprimentos).
· Referências incompletas ou erradas, indicando que você na realidade não conseguiu encontrar um fio condutor nas obras que consultou.
· Ausência de tabelas, modelos ou qualquer tipo de resumo dos assuntos e autores principais revisados na literatura – você deve sempre tentar facilitar a vida do leitor, oferecendo resumos ou esquemas que ajudem a entender o assunto que está sendo abordado.
· Ausência de uma seção de conclusões que reúna as idéias principais abordadas no texto.
· Má organização do material: revisão com seções muito curtas (com um ou dois parágrafos, apenas), com repetição de idéias (o estilo “ficha-de-leitura”), ou sem uma estrutura ou lógica identificável de apresentação.

 
Outras Recomendações

O referencial teórico deve ser ao mesmo tempo completo e enxuto. Você deve revisar todos os estudos e autores relevantes diretamente relacionados ao seu assunto principal. Após a leitura, deve apresentar as idéias principais em cerca de 35 páginas.
Dê prioridade a obras recentes (artigos ou livros com mais de 10 anos de idade costumam estar desatualizados). Contudo, evite o excesso de apud. Se as obras principais são mais antigas, você deve lê-las.
Dê prioridade (nessa ordem) a: 1) Artigos publicados em periódicos internacionais; 2) Artigos publicados em periódicos nacionais reconhecidos (na área de Engenharia de Produção, podem ser citados: Revista Produção, Gestão & Produção); 3) Livros publicados por bons editores; 4) Teses e dissertações, 5) Anais de conferências internacionais; 6) Anais de conferências nacionais.
Nunca “interprete” ou “adapte” idéias de outros autores para que elas fiquem parecidas ou reforçem as suas. O referencial teórico apresenta as idéias da literatura. Nos próximos capítulos, você terá espaço para apresentar as próprias idéias.
Evite citações literais, a menos que sejam realmente necessárias. O excesso de citações literais significa que você não se deu ao trabalho de sintetizar, conectar, reunir idéias de diferentes autores.

Estilo de Redação do Trabalho

Seguem algumas instruções que podem ajudar na redação de seu trabalho:

- NUNCA copie material (texto, figuras, tabelas) de terceiros sem referenciar. No caso de texto, evite cópias literais, pois elas devem vir entre aspas ou com parágrafo diferenciado, o que atrapalha muito a fluidez do texto. Leia os textos que contêm o material a ser explicado com atenção, coloque os livros de lado, e gere sua própria explicação escrita. Quando as ideias coincidirem com aquelas de algum dos autores, referencie o autor. Lembre: plágio é crime. Tome muito cuidado com isso.
Escreva com frases curtas e objetivas. Evite parágrafos com somente uma frase. Elimine palavras desnecessárias, especialmente adjetivos. Use uma narrativa impessoal, formal e direta. Use um bom vocabulário, evitando metáforas, gírias, palavras obscuras ou complexas e informalidades. Dê preferência a palavras curtas.
Faça um “esqueleto” do que você irá escrever, especificando os conteúdos, parágrafo a parágrafo (lembre: um parágrafo não deve conter mais do que um assunto; um assunto, todavia, pode-se estender por diversos parágrafos). Sabendo o roteiro do que deverá ser escrito, a redação sairá muito mais fácil.
- SEMPRE tenha um esquema dos assuntos a serem discutidos por parágrafo no texto. Caso contrário, você vai acabar se perdendo e gerando um texto de má qualidade. Evite parágrafos de uma só frase. Um parágrafo é um conjunto de frases concatenadas, discorrendo sobre o mesmo assunto.
Ao escrever um parágrafo ou frase, releia e pergunte-se: isto está claro? Todo o conhecimento necessário para entender este parágrafo já foi introduzido? Não estou usando jargões que ninguém mais vai entender? Não estou usando iniciais que não defini previamente? Em suma, leia o texto com os olhos de alguém que está tentando aprender com o material exposto. É assim que a banca avaliadora vai ler o seu trabalho.
Caso algum parágrafo não traga referências, subentende-se que você tenha inventado tudo o que está escrito ali. Normalmente, esse não é o caso. Sendo assim, acrescente pelo menos uma referência por assunto ou parágrafo (exceto nos parágrafos que contenham resumos e conclusões, elaborados por você mesmo).
O número mínimo de referências em uma dissertação de mestrado está na volta de 30 a 40 obras. Deste número, pelo menos metade devem ser artigos provenientes de periódicos científicos ou de anais de congresso. Não escreva seções inteiras baseadas em uma única referência; utilize pelo menos três, mesmo que elas digam essencialmente a mesma coisa. É preciso que seja demonstrado ao leitor um certo esforço de pesquisa.
Figuras copiadas devem ser referenciadas. Se forem copiadas iguais ao original, após a legenda, coloque (Fonte: Fogliatto et al., 1998), por exemplo. Se forem adaptadas (traduzidas ou modificadas de alguma forma), coloque, após a legenda, (Adaptado de Fogliatto et al., 1998).
Evite afirmações pessoais (“achismos”), superlativos (exageros de qualquer espécie) e informalidades. O texto técnico deve ser neutro e, obviamente, o mais técnico possível.
Evite notas de rodapé. Normalmente, o que está sendo dito no rodapé pode ser introduzido, entre parênteses, no texto. Caso não possa, você provavelmente está desviando do assunto principal, coisa que não deveria acontecer.
Evite o uso de listas. Listas são usadas em apostilas e livros-texto. Teses e dissertações devem privilegiar o uso de parágrafos concatenados.

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

[texto original elaborado por Flavio Fogliatto e Giovani da Silveira]

segunda-feira, 19 de maio de 2014

SEGUNDA ETAPA DE MATRÍCULA DOS APROVADOS NO VESTIBULAR E NO SISTEMA DE INGRESSO SERIADO DA UEA INICIA NESTA SEGUNDA-FEIRA


Instituição busca envolver alunos, professores e servidores nas atividades do Mundial
 
 
 
MANAUS - Começa hoje, 19 de maio, o prazo para efetivação da matrícula dos alunos aprovados no Vestibular e no Sistema de Ingresso Seriado - SIS 2013, acesso 2014 - 2a etapa - 1a chamada. A matrícula deve ser feita no horário das 8h às 12h e das 14h às 18h, nos endereços e municípios especificados no Edital de matrícula disponível no portal da Universidade do Estado do Amazonas - UEA.
Os candidatos convocados devem realizar a matrícula até a próxima sexta-feira, dia 23. A lista de documentos necessários está disponível no Edital do Vestibular e no SIS 2014. O resultado da matrícula será divulgado no portal da UEA e nos locais de entrada da documentação a partir do dia 3 de junho. Os convocados para os cursos de Enfermagem, Medicina e Odontologia, pertencentes ao grupo 10 - Edital 56/2013 / Vestibular - e o grupo 7 - Edital 55/2013 / SIS - deverão assinar um termo de compromisso para formalizar que, após a conclusão do curso, permanecerão no interior do Estado do Amazonas, pelo prazo de um ano, desenvolvendo atividades práticas como resultado dos conhecimentos adquiridos no período do curso, de acordo com a Lei n. 3.972, de 23 de dezembro de 2013.
O candidato classificado e convocado que, por qualquer motivo, não realizar a matrícula nos prazos estipulados, perderá o direito à vaga e será substituído imediatamente pelo candidato subsequente na lista dos aprovados, não podendo, por esse motivo, pleitear posteriormente sua matrícula.
Para maiores informações, acesse o portal da UEA: www.uea.edu.br
 
 
Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

GOVERNO JAPONÊS OFERECE BOLSAS DE ESTUDO PARA AMAZONENSES EM UNIVERSIDADES

Dividias entre duas áreas de estudo, Ciências Humanas e Ciências Naturais, as bolsas mensais de benefício são no valor de 177 mil ienes.


MANAUS - O governo do Japão, através do Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia - MEXT, está oferecendo dois tipos de bolsas de estudo para brasileiros em universidades públicas japonesas. As bolsas, intermediadas pelo Consulado Geral do Japão em Manaus, são válidas somente para candidatos residentes nos Estados do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima.
De acordo com a assistente administrativa do setor cultural, Sandra Magafe, são oferecidas duas bolsas, sendo uma de graduação e uma de pesquisa para o nível de pós-graduação. Para cada tipo de bolsa haverá um processo seletivo distinto.
"As inscrições para as bolsas de graduação serão realizadas de 3 a 30 de junho. Já as inscrições para as bolsas de pós-graduação tiveram início no dia 2 de maio e terminará dia 30 de maio, explicou Sandra Magafe.
Os interessados em concorrer a uma das bolsas devem encaminhar os documentos informados abaixo pelo correio ou entregar na recepção do Consulado, localizado na Rua Fortaleza, n. 416, bairro Adrianópolis.
A coordenadora afirmou ainda que não serão aceitas inscrições enviadas por e-mail e que o residente no Amazonas deverá fazer a inscrição pessoalmente na sede do consulado.

BOLSA DE GRADUAÇÃO

Segundo a responsável pelo programa, as bolsas de graduação são direcionadas a brasileiros com o Ensino Médio completo e nascido entre 2 de abril de 1993 e 1 de abril de 1998. Elas possuem duração de cinco anos - abril de 2015 a março de 2020 -, ou duração de sete anos - até março de 2022 - no caso dos cursos de Odontologia, Veterinária, Medicina e Farmácia.
"Para a bolsa de graduação, os documentos deverão ser entregues até o dia 25 de junho. Os documentos são: um formulário de inscrição devidamente preenchido com uma foto 3 x 4 recente; cópias do histórico escola e certificado de conclusão do Ensino Médio, caso já tenha concluído; e, caso ainda não tenha, atestado de matrícula original e boletins do primeiro e segundo ano, além do primeiro bimestre do terceiro ano", explico a coordenadora.
Divididas entre duas áreas de estudo, Ciências Humanas e Ciências Naturais, as bolsas mensais de benefício são no valor de 177 mil ienes (aproximadamente R$ 2.325,00). "Contudo, para manter os benefícios da bolsa, o aluno deverá manter boas notas e boa frequência no curso", informou a responsável pelo programa.
A coordenadora listou alguns requisitos necessários para o candidato que queira tentar concorrer a uma bolsa. "Deve ter nacionalidade brasileira, Ensino Médio completo até dezembro de 2014, idade entre 17 anos e 21 anos, bom domínio da língua inglesa ou japonesa e disposição para aprender a língua japonesa e assistir aulas nesse idioma", concluiu ela.

BOLSA DE PÓS-GRADUAÇÃO

A bolsa de pós-graduação para realização de pesquisas em universidades japonesas, que oferece ao interessado a oportunidade de cursar o mestrado e/ou doutorado, caso venha ser aprovado no exame de admissão da universidade japonesa, inclui curso de língua japonesa nos seis primeiros meses do programa.
O programa, de acordo com informações de Sandra Magafe, poderá ter duração de dois anos - abril de 2015 a março de 2017 - ou de um ano e meio - outubro de 2015 a março de 2017. "Direcionado a brasileiros com curso superior completo, os benefícios da bolsa variam de 143 mil ienes mensais - cerca de R$ 2.867,00 - a 145 mil ienes mensais", explicou a assistente do setor cultura.
Diferentemente da bolsa de graduação, este nível possui duas etapas de seleção. "Durante a primeira, temos a análise do currículo e do projeto de pesquisa, provas escritas de inglês e japonês e entrevista. Na segunda fase, enviamos os documentos ao Japão para análise do MEXT e das universidades japonesas cadastradas no programa", afirmou a coordenadora.
Para maiores informações, o candidato deve acessar o site do Consulado Geral do Japão em Manaus, onde poderá acompanhar o calendário de programações, tanto da bolsa de graduação quanto da de nível de pós-graduação; ou ainda ligar para o telefone 92 3232-2000. No site, também é possível conseguir um modelo de formulário que deve ser preenchido e entregue ao consulado no momento da inscrição.

Fonte: www.diariodoamazonas.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

terça-feira, 13 de maio de 2014

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS OFERECE 4 MIL VAGAS EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Os números divulgados se referem à população escolar no Amazonas nos níveis de educação infantil, fundamental, médio e do programa de Educação de Jovens e Adultos
 
 
 
Professores que atuam em escolas estaduais ou municipais são o alvo dessa especialização. No total, três cursos serão oferecidos e ministrados em 58 municípios do Amazonas


MANAUS - Os interessados em participar dos Cursos de Especialização para disciplinas da Educação Básica, oferecidos pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, devem ficar atentos à oportunidade que será divulgada até o final do mês de mio. Por meio de novo Edital, quatro mil vagas serão oferecidas para os professores portadores de diploma de graduação em Licenciatura Plena e que atuam nas Redes Públicas de Educação Estadual e Municipal.
No total, três cursos serão oferecidos e ministrados em 58 municípios do Amazonas na modalidade Sistema Presencial de Ensino Mediado por Tecnologia. Os cursos são de Especialização em Língua Portuguesa, Matemática e Gestão de Currículo e Desenvolvimento de Práticas Pedagógicas. As aulas serão realizadas aos sábados, das 8 às 18h.
Conforme a Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UEA, a Propesp, Maria Paula Mourão, a oferta desses cursos atende à política do Governo do Estado do Amazonas para promover a educação, o desenvolvimento e o conhecimento científico, visando a melhoria do ensino no Amazonas.
 
PRIMEIRAS TURMAS
 
No último sábado, 10, a UEA deu início às aulas das primeiras turmas dos Cursos de Especialização para disciplinas da Educação Básica. Mais de dois mil alunos em Manaus, Tefé, Tabatinga e Parintins, de 14 cursos de diversas áreas, entre elas História, Educação Física e Biologia participaram das aulas que ocorrerão todos os sábados, até janeiro de 2016.
 
Fonte: www.acritica.com.br (com informações da Assessoria de Comunicação da UEA)
 
Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
 

quinta-feira, 8 de maio de 2014

INSCRIÇÕES DO ENEM 2014 COMEÇAM NA SEGUNDA-FEIRA

Mateus Bruxel/Folhapress
 
 
 
BRASÍLIA - O Exame Nacional do Ensino Médio-ENEM 2014 será realizado nos dias 8 e 9 de novembro. A informação foi divulgada na tarde desta quinta-feira, 8, pelo Ministro da Educação, José Henrique Paim, e pelo Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP, José Francisco Soares. As inscrições começam na segunda-feira, dia 12.
O Edital será publicado amanha, 9, no Diário Oficial da União-DOU. Neste ano, há previsão de uso de detectores de metais nos locais de prova. O ENEM 2014 será aplicado em 1.699 municípios do país. As inscrições serão entre 12 e 13 de maio de 2014. O prazo final para o pagamento do boleto de inscrições será no dia 28 de maio.
A previsão é que 8,2 milhões de pessoas se inscrevam, um crescimento de 13,8% em relação aos 7,2 milhões do ano passado. O valor da inscrição é R$ 35. Alunos de rede pública e pessoas com renda familiar de até 1,5 salário mínimo são isentos.
No dia 8 de novembro (sábado), serão aplicadas as provas de Ciências Humanas e Ciência da Natureza. No dia 9 (domingo) serão os exames de Linguagens, Códigos e suas tecnologias, Matemática e Redação. Nos dois dias, as provas começam às 13h (horário de Brasília), com abertura dos portões às 12h.


Fonte: www.bol.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br

quarta-feira, 7 de maio de 2014

NOS ESTADOS UNIDOS, ESTUDANTE DE 16 ANOS DE IDADE CONCLUI ENSINO SUPERIOR E MÉDIO AO MESMO TEMPO

Grace Bush, de 16 anos, concluiu a graduação antes de receber o diploma do ensino médio
 
 
 
MIAMI (EUA) - Aos 16 anos de idade, Grace Bush aguarda o seu diploma do Ensino Médio que será entregue na próxima sexta-feira, dia 9. O único detalhe é que ela tem em mãos o diploma universitário conquistado na última sexta, dia 2, quando se tornou oficialmente Bacharel em Justiça Criminal pela Florida Atlantic University.
"É meio estranho, eu me formei na faculdade antes do Ensino Médio", disse a garota ao canal CBS de Miami.
Como se não bastasse concluir o bacharelado aos 16 anos, Grace completou o curso de quatro anos em apenas três. Ela entrou na faculdade aos 13 anos e teve aulas durante as férias para receber o diploma antes.
A formatura do Ensino Médio será no dia 9 de maio, também na Florida Atlantic University, que tem uma escola. A instituição tem um programa em que os alunos com ótimo desempenho podem cursar o Ensino Superior ao mesmo tempo em que completam o Ensino Médio. O processo fez com que os pais de Grace economizassem dinheiro, já que eles não poderiam enviar seus nove filhos para a faculdade.
"Aos dois anos de idade, ela já estava lendo", disse a mãe de Grace, a Senhora Gisla Bush. Grace é a terceira filha mais velha da família Bush e foi alfabetizada em casa pelos pais. "Eu gostaria de me tornar Presidente do Supremo Tribunal dos Estados Unidos", afirma a estudantes. Durante seu tempo livre, Grace toca a flauta em duas orquestras. A atividade, porém, deve ser interrompida no verão, já que a jovem pretende se dedicar mais aos estudos nos próximos meses para tentar entrar no mestrado. Em seguida, ela pretende fazer o Curso de Direito.
 
Fonte: www.bol.com.br Com informações do Jornal "Sun Sentinel" e da CBS Miami.
 
Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
 

COPA DO MUNDO 2014: DEFINIDA A SELEÇÃO BRASILEIRA DO HEXA

selecao_post
 
 
 
RIO DE JANEIRO - Há 36 dias da abertura do maior evento futebolístico do mundo, finalmente o planeta conheceu os escolhidos da única Seleção Pentacampeã de futebol de Copas do Mundo: a Seleção do Brasil. O técnico Felipão, sem muitas surpresas anunciou a relação dos 23 jogadores que vão atuar em busca do sexto e inédito título, o hexa. Para os brasileiros, essa relação representa o time esperado e traz nova esperança e novo horizonte para o Brasil despontar como a melhor seleção do mundo, já que ano passado (2013) essa era a base da seleção que conquistou a Copa das Confederações. Lembra o torcedor brasileiro que isso se firma porque nessa final, o Brasil ganhou simplesmente da então insuperável seleção da Espanha, cópia ipsis literis da Seleção Brasileira campeão de 1970, time do futebol arte. Na ocasião, o apoio da torcida foi fundamental, além, é claro, da preparação pela qual a seleção brasileira passou.
A contagem regressiva para o hexa começa efetivamente hoje, quando de fato as correntes positivas, seja religiosa, seja mental, se alastram por todo o país.
 
VEJA A LISTA DOS 23 JOGADORES SELECIONADOS
 
1. Júlio César - goleiro (Toronto - Canadá)
2. Jefferson - goleiro (Botafogo - Brasil)
3. Victor - goleiro (Atlético Mineiro - Brasil)
4. Daniel Alves - lateral direito (Barcelona - Espanha)
5. Maicon - lateral direito (Roma - Itália)
6. Thiago Silva - zagueiro (Chelsea - Inglaterra)
7. Dante - zagueiro (Bayern de Munique - Alemanha)
8. David Luiz - zagueiro (Chelsea - Inglaterra)
9. Henrique - zagueiro (Napoli - Itália)
10. Marcelo - lateral esquerdo (Real Madrid - Espanha)
11. Maxwell - lateral esquerdo (Paris Saint-Germain - França)
12. Luiz Gustavo - volante (Wolfsburg - Alemanha)
13. Paulinho - volante (Tottenham - Inglaterra)
14. Ramires - volante (Chelsea - Inglaterra)
15. Fernandinho - volante (Manchster City - Inglaterra)
16. Oscar - meia-atacante (Chelsea - Inglaterra)
17. Willian (Chelsea - Inglaterra)
18. Hernanes - meia-atacante (Inter de Milão - Itália)
19. Bernard - atacante (Shakhtar Donetsk - Ucrânia)
20. Neymar - atacante (Barcelona - Espanha)
21. Fred - atacante (Fluminense - Brasil)
22. Hulk - atacante (Zenit - Rússia)
23. Jô - atacante (Atlético Mineiro - Brasil)
 
Felipão chama Henrique e Hernanes e  deixa Robinho de fora; veja convocados (Felipão chama Henrique e Hernanes e  deixa Robinho de fora; veja convocados (Felipão chama Henrique e Hernanes e  deixa Robinho de fora; veja convocados (Felipão chama Henrique e Hernanes e  deixa Robinho de fora; veja convocados (Felipão chama Henrique e)
 
Dentre os 23 convocados,  Júlio Cesar, Thiago Silva, Daniel Alves, Maicon, Ramires e Fred já tiveram pelo menos uma participação em Copas do Mundo de Futebol. Apenas 4 atuam no futebol brasileiro, enquanto o futebol inglês é o maior reduto de jogadores brasileiros convocados: são 7 no total.
Após grandes manifestações realizadas no Brasil contra a Copa do Mundo, o país parou para conhecer os possíveis heróis do hexa. Aos poucos os brasileiros se dão conta de que o país do futebol, ainda que diversos setores da sociedade como saúde, educação e transporte, encontram-se em total abandono, não pode ficar sem seu apoio. Assim, a ideia é retomar a hegemonia do futebol brasileiro e mostrar ao mundo que nós somos os melhores.
 
 
Elaborado por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA

domingo, 4 de maio de 2014

PESQUISA REVELA QUE USAR PAPEL E CANETA É MELHOR PARA A MEMÓRIA DO QUE USAR COMPUTADOR

Caneta e papel são mais eficientes que computador para memorizar conteúdo
 
 
 

SÃO PAULO - Um estudo publicado recentemente na revista científica "Psychological Science" indica que fazer anotações no papel é melhor para o estudo d que fazê-las em computadores. De acordo com a pesquisa, os participantes que fizeram notas em papel sobre algumas palestras tiveram melhor desempenho nos testes realizados posteriormente do que os que usaram o notebook, mesmo com ele desconectado da internet.
O levantamento foi feito com estudantes das universidades norte-americanas de Princeton e UCLA - Universidade da Califórnia.
E um dos testes realizados, os pesquisadores exibiram uma palestra online a 65 alunos. Alguns deles puderam utilizar o notebook - desconectado da internet - para fazer suas anotações, enquanto outra parte utilizou caneta e papel. Todos foram orientados a usar as estratégias que normalmente usam para fazer suas notas.
Depois de 30 minutos, os participantes responderam a um teste com questões sobre os assuntos abordados na palestra. Os que usaram canetas registraram de 100 a 150 palavras a menos dos que os que digitaram suas anotações. No entanto, o grupo que usou o notebook teve uma compreensão mais rasa dos conteúdos apresentados, principalmente porque muitos acabaram transcrevendo o que ouviram em vez de refletir sobre o assunto e destacar apenas os pontos importantes.
Diante desse resultado, o estudo alerta que transcrever algo literalmente ao invés de processar as informações e reformular o conteúdo com as próprias palavras é prejudicial para a aprendizagem. Além da eficiência de usar o papel, os pesquisadores identificaram que revisar os conteúdos antes de um teste também é benéfico para o aprendizado.
O levantamento foi realizado por Daniel Oppenheimer da Universidade da Califórnia e Pam mueller da Universidade de Princeton.


Fonte: www.bol.com.br

Por Rubem Tadeu - Presidente da AFAMA
rtcastroalves@bol.com.br